sexta-feira , 13 de dezembro de 2019
Home / Notícias / Entrevista com o Of R/2 Inf 2º Ten NONATO

Entrevista com o Of R/2 Inf 2º Ten NONATO



MANAUS (AM) – No dia 16AGO2019, tivemos a honra de receber o Of R/2 Inf 2º Ten Raimundo NONATO de Souza, na sede Associação dos Oficiais R/2 do Amazonas (AORA), para uma entrevista, objetivando, numa série de entrevistas que se seguirão, dar destaque aos Oficiais que estão disseminados no mundo civil, contribuindo de alguma forma com o desenvolvimento seja no segmento privado ou público. Isto se dá pela importância de identificarmos as potencialidades e reconhecimentos que temos, dentre os associados. Confiram a entrevista abaixo:

Entrevista com Ten NONATO. Foto: Marilene Ritta.

Inicialmente, quem é o Ten NONATO?

Minha formação, eu sou advogado tributarista. Eu diria que na minha vida profissional, eu sou 10% advogado, e 90% eu sou representante comercial. Eu tenho uma empresa desde 2001. Na realidade, eu gostaria de voltar um pouquinho no tempo, né? Sou de Fortaleza. Vim para Manaus em 1996, por uma indústria farmacêutica – uma grande indústria. E fiquei quase 6 anos, quando eu senti que o mercado estava carente de algumas indústrias que queriam vir pra cá.  E essas indústrias começaram a fazer contato comigo. Eu me desliguei da empresa, montei minha empresa de representação, e trouxe essas indústrias. Com que intuito? De oferecer ao mercado amazonense mais opções de medicamentos. Então hoje, eu represento algumas indústrias de vários Estados, indústrias com medicamentos de baixo custo. E, com isso, a gente espera facilitar o acesso a todas as classes da sociedade manauara (…). Além de advogado e representante comercial, sou Conselheiro do CORE-AM – Conselho Regional de Representantes do Amazonas. Faço parte do Conselho há 5 anos. Eu sou Tesoureiro dos Sindicato dos Representantes Comerciais, e através desse sindicato, eu sou conselheiro do SESC e do SENAC.

Como o senhor conheceu a AORA?

Bom, eu estava num evento. Era o dia do propagandista farmacêutico. Estávamos lá, num dia de sábado, num churrasco, todo mundo se divertindo… E eu estava com uma camisa do NPOR (Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva) e um boné da infantaria. Tive a satisfação de encontrar um colega, advogado também, e aspirante. O Aspirante Paulo, né? E ele apresentou-se para mim, dizendo que fazia parte da AORA. Perguntou se eu tinha vontade de participar da AORA. E eu automaticamente disse que sim, claro, que tinha interesse. Me associei e até hoje estou na AORA.

Como se deu o interesse se associar à AORA?

Porque eu estava ha mais de 30 anos sem nenhum contato com a vida militar, e eu realmente sentia falta daquilo. E eu percebia aqui, como lá no nordeste, de onde eu vim, que os oficiais estavam “desgarrados”. Então assim, eu vi que nós éramos pessoas de destaques, alguns, dentro da sociedade, mas, que éramos bons, individualmente. Mas eu sempre considero o trabalho em equipe, e eu acho que nós, juntos, somos invencíveis. Então eu vi na AORA uma oportunidade incrível, de agregarmos os R/2, trocar ideias, experiências, nos fortalecermos e ajudarmos uns aos outros. E levar nossa experiência como braço direito do Exército la fora, e mostrar aquilo que nós aprendemos no tempo de caserna, pra sociedade. Eu considero a AORA o instrumento ideal para que façamos esse trabalho. E eu digo com muita segurança, eu estou muito feliz de estar na AORA. Gostaria muito que mais pessoas entrassem e se associassem para que a gente crescesse e mostrasse a nossa força.

O que o senhor gostaria de “ver mais” na AORA?

Um fator muito importante que eu gostaria de destacar: é a divulgação. Eu vou dar um exemplo: eu estive em 2017, participei do EROREX (Encontro Regional de Oficiais da Reserva), que foi em Fortaleza, no 23BC (a minha casa). E eu fui pra esse evento. Foi muito legal ver Oficiais de todo o nordeste. Mas eu senti falta da minha turma. Não tinha ninguém da minha turma. E depois eu conversei com eles, e eles disseram que não sabiam nem que existia AORE lá em Fortaleza. Como eu ja vi colegas aqui dizerem que não sabiam da existência da AORA. Então vamos divulgar, vamos fazer esse trabalho de boca-a-boca. Vamos falar da nossa Associação, porque ela é importante. A partir do momento que nós tivermos essa consciência de que a Associação é importante para nós, ninguém nos segura.

“A partir do momento que nós tivermos essa consciência de que a Associação é importante para nós, ninguém nos segura” – TEN NONATO

Raimundo NONATO de Souza é da Turma de 1977. Serviu no 23BC-NPOR, posteriormente no 24BC-São Luís. É advogado, representante comercial. É proprietário da REPNORTE – Representação de medicamentos e Suplementos. Atualmente Diretor Secretário da AORA.

Entrevistado: Of R/2 Inf 2º Ten NONATO

Redação: Asp Of Inf Alcântara



Veja Também

Entrevista com Deputado Delegado Péricles

No dia 03Out2019, na Assembléia Legislativa do Amazonas, foi realizada uma entrevista especial com o ...

3 comments

  1. Excelente parabéns Asp Alcântara e Ten Nonato!

  2. ORLANDO FERREIRA CRUZ

    Excelente iniciativa da AORA em contar as experiências dos oficiais R2. Pelo exemplo vamos agregar outros oficiais e aspirantes. Parabéns a todos responsáveis por mais um gol de placa da nossa AORA.

  3. Parabéns Asp Alcântara pela iniciativa.
    É muito bom saber sobre os oficiais que de qualquer forma contribuem para o desenvolvimento de nosso Estado.
    Selva!

Deixe uma resposta para ORLANDO FERREIRA CRUZ Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *